Um sapato de salto alto deixa qualquer mulher elegante, mas com o tempo, o uso excessivo pode causar alguns problemas. Algumas das regiões que podem ser afetadas são os pés, os calcanhares, os tornozelos, os joelhos e claro, problemas na coluna, principalmente com o uso contínuo desse tipo de calçado. 

O sapato com salto pode alterar a maneira de andar: os ombros vão para trás e a cabeça para a frente, e isso muda a angulação da coluna, o que pode prejudicar o pescoço e a lombar, além de aumentar as chances de alteração postural. 

Porém, mesmo sendo muito comum, isso não é uma regra. Enquanto há mulheres que vivem se equilibrando em saltos agulha sem tirar o sorriso do rosto, outras só sobem em um de vez em quando e não aguentam de dor nas costas.

Para te ajudar, preparamos este artigo para te mostrar como o salto alto pode causar problemas na coluna e em outras regiões do corpo, de que maneira é possível evitar essa situação e quais são os tratamentos mais adequados para este caso em específico. 

Continue com a gente e saiba se o salto alto que você usa com frequência pode causar problemas na coluna!

Afinal, o salto alto é sempre o vilão?

Embora esse tipo de sapato tenha ficado conhecido como inimigo da coluna, ainda não há comprovação científica de que ele gere problemas nas articulações. 

Muitas vezes a lesão nas costas é causada por outros fatores, porém o incômodo só aparece quando você usa o calçado, pois o sapato gera uma sobrecarga na região lombar (e em muitas outras partes do corpo), o que acaba agravando o problema já existente.

Entre os fatores prévios que podem causar lesões lombares, com a “ajuda” do salto alto, estão a própria anatomia da corpo, desequilíbrio sagital (alinhamento da coluna) e desvios posturais (como retificação da lordose lombar ou hiperlordose lombar e escoliose), falta de alongamento da cadeia posterior (o “encurtamento” muscular) e fortalecimento muscular do tronco (“core”), tabagismo, sobrepeso e até excesso de exercícios físicos.

Problemas na Coluna

O salto alto pode causar problemas?

Em uma pessoa comum, o pé está praticamente todo em contato com o chão, ou seja, o peso do corpo é distribuído de forma correta e equilibrada. Quando a pessoa usa salto alto, alguns pontos são sobrecarregados, principalmente quando a altura do salto é grande.

O primeiro lugar a sofrer é a região próxima aos dedos na sola do pé. Isso porque todo o peso do corpo é concentrado nesse local devido à curvatura que o salto proporciona. Isto pode gerar metatarsalgias, Neuroma de Morton, joanetes (especialmente se o bico do sapato for fino). A região central da sola também é comprometida, visto que fica fletida em excesso, podendo gerar fascite plantar (“esporão” calcâneo), impacto e tendinite no tendão de Aquiles.

Com o uso frequente dos saltos, as panturrilhas e os joelhos também são afetados. A altura exagerada do calcanhar muda a angulação dessas estruturas, e assim, há maior pressão nos joelhos, exacerbando sintomas de impacto femuropatelar e condromalácea, e um maior estiramento das panturrilhas, que ficam frequentemente contraídas.

No longo prazo, isso significa um desgaste ósseo no joelho, uma chance de encurtamento dos músculos da panturrilha e consequentemente,  sobrecarga nas articulações  da coluna, podendo causar fortes dores por simples tensionamento musculoligamentar, podendo evoluir para problemas mais graves, como a lombalgia crônica  e até mesmo exacerbar sintomas da artrose.

Lombalgia

Como evitar os problemas na coluna causados pelo uso constante de salto alto?

Mesmo não tendo relação comprovada com surgimento de novos problemas na coluna, o uso de salto alto agrava problemas já existentes na região.

A melhor forma de evitar problemas devido ao uso de salto alto é optar por saltos de base larga, de forma que haja um maior apoio na região do calcanhar. Além disso, é necessário que o salto não seja muito alto, isto é, tenha no máximo 5 centímetros – saltos maiores que isso devem ser reservados para situações especiais e pontuais, como festas.

Fazer pausas durante o uso, retirando os saltos para alongar a cadeia posterior e fáscia plantar é fundamental. Isto tende a evitar o encurtamento muscular e tensionamento das inserções dos tendões no pé e coluna.

Por fim, é essencial que o uso de calçados de salto sejam intercalados com sapatos que proporcionem ao pé a expressão de sua curvatura natural, como os tênis, ou salto tipo “Anabela”. Na realidade, deve-se preferir esses tipos de calçado sempre quando possível. Essa é uma medida imprescindível para evitar dores, desgastes e outros problemas decorrentes do uso constante de salto alto.

Como tratar as dores causadas pelo uso frequente de salto alto?

A dor é um sintoma comum após o uso prolongado de salto alto, sendo assim, além de colocar em prática as medidas preventivas, também é necessário tratar o problema, se possível, sempre com o acompanhamento de um médico especialista.

O médico ortopedista e especialista em coluna que intervém as dores usando técnicas minimamente invasivas, irá realizar a avaliação e o diagnóstico ideal para que, mesmo os problemas e incômodos simples, sejam tratados da maneira mais rápida e eficaz possível.

Problemas na Coluna

Quais outras partes do corpo podem ser prejudicadas pelo uso de salto alto?

Os pés são um dos principais afetados com essa escolha de calçado. Caminhar de salto alto é quase inevitável depositar o peso do corpo na parte da frente do pé, deixando o pé em flexão plantar (na ponta do pé). 

Isso resulta em demasiada pressão em cima dos metatarsos (ossos longos localizados antes dos dedos), o que pode acabar mudando a posição natural desses ossos, assim como o ângulo dos tornozelos, que ficam instáveis. Uma das patologias mais comuns é a metatarsalgia, dor localizada na região dianteira do membro. 

Dor nas pernas, inflamação nos joelhos, tendinite patelar e até alterações degenerativas como a artrose também podem acontecer.

Outra consequência, de certa forma comum, é o encurtamento dos músculos gastrocnêmio e sóleo (da panturrilha) e dos posteriores da coxa, além da sobrecarga nos tendões que os acompanham (itens já abordados anteriormente). 

Resultado: ao andar descalça ou com sapatos rasteiros, que obriga a extensão dessas musculaturas, o incômodo costuma ser enorme. Neste momento, podem aparecer dores da região lombar até os calcanhares.

salto alto

Fique atento, não negligencie as dores na coluna, assim como assimetrias nos ombros, costelas e bacia…

Vale ressaltar a importância de um médico especializado para realizar o diagnóstico correto. Pensando em proporcionar a melhor solução para sanar os problemas dos pacientes, o Dr. Henrique Noronha é médico ortopedista, especialista em cirurgia de coluna e intervenção de dor, usando técnicas minimamente invasivas, se colocando sempre à disposição para trazer mais qualidade de vida às pessoas que sofrem com problemas na coluna – Agende já a sua consulta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.