As pessoas com sobrepeso ou obesas têm alto risco de desenvolverem dor crônica nas costas. Médicos especialistas em todo o mundo tentam conscientizar a população sobre as duas doenças cada vez mais frequentes e intimamente relacionadas: a obesidade e as dores na coluna.

Quando damos uma olhada no cenário nacional a situação fica mais preocupante. No Brasil a obesidade atinge cerca de 20% das pessoas. Já o sobrepeso atinge mais da metade da população: 54% das pessoas estão acima do peso. 

A hipótese mecânica para explicar de maneira simples  a situação, é que o sobrepeso e o acúmulo de gordura na região abdominal, faz com que haja uma sobrecarga nas estruturas lombares, ou seja,  os músculos, articulações, ligamentos e discos, das costas se sobrecarregam para sustentar o peso do corpo, o que aumenta o stress de toda estrutura.

Há,  também, evidências crescentes que relacionam certos processos metabólicos no tecido adiposo, preferencialmente a gordura abdominal, com um estado inflamatório crônico de baixa intensidade mediado por adipocinas e outras substâncias que favorecem a doença do disco e a dor lombar crônica.

Há também uma forte associação entre obesidade e sedentarismo, sendo que este último é invariavelmente um grande fator de desencadeamento de dor e, possivelmente, também ligado a degeneração discal. 

Ficou curioso para saber mais? Então continue com a gente que vamos te contar tudo sobre como a obesidade ou sobrepeso podem afetar a saúde da sua coluna.

Entenda a sua coluna

Sua coluna vertebral é composta de 24 ossos, chamados vértebras. Entre cada vértebra, existem discos que fornecem amortecimento necessário para a rotação e flexão da coluna vertebral.

A coluna é composta da espinha cervical (pescoço), da coluna torácica (peito), da coluna lombar (parte inferior das costas) e dos ossos sacrais. 

Existem curvas naturais dentro da coluna que são importantes para manter o equilíbrio em pé e o alinhamento geral da coluna vertebral.

Obesidade e problemas na coluna

Como a obesidade prejudica a coluna

Pessoas que sofrem de obesidade têm um risco aumentado de problemas especificamente na região lombar (parte inferior das costas). Como há excesso de peso na barriga, a pelve é puxada para a frente, forçando a parte inferior das costas, criando um vetor de força que pode estar associado a sobrecarga mecânica discal e articular e, possivelmente, dor nesses pacientes. Como  frequentemente essas pessoas são descondicionadas fisicamente, há uma desproporção entre o peso corpóreo e a qualidade da fibra muscular, que pode estar enfraquecida, substituída ou entremeada por gordura.

Se você tem excesso de gordura na barriga, é provável que apresente sintomas em sua coluna. Seu “core”  é o centro de gravidade e pode ser afetado com o excesso de peso. Essa mudança tende a puxar seu corpo para a frente e potencialmente forçará suas costas. A mudança também fará com que seu corpo mantenha uma postura não natural que, ao longo do tempo, pode causar dor nas costas.

Hérnias de disco

As pessoas obesas apresentam mais riscos de ter hérnia de disco, pois, como falado anteriormente, a obesidade tende a sobrecarregar a coluna vertebral e a pressionar os discos localizados entre as vértebras, que protegem os ossos do atrito e permitem a movimentação da estrutura.

A hérnia de disco se manifesta quando o disco sai de sua posição normal, o que pode comprimir os nervos e a medula espinhal. É mais comum na região lombar, e a dor é seu principal sintoma, a qual se intensifica com a evolução do problema.

A obesidade também pode aumentar o risco de uma hérnia de disco voltar a se manifestar após a cirurgia. Os resultados imediatos da cirurgia podem ser menos satisfatórios em pessoas acima do peso.

Até por isso, muitos especialistas recomendam que seus pacientes percam peso antes de realizar uma intervenção cirúrgica. Se conseguem emagrecer, o pós-operatório também costuma ter menos complicações e a recuperação é mais rápida.

Lesão no disco

Hiperlordoses

A hiperlordose é uma condição em que a coluna vertebral na parte inferior das costas apresenta uma curvatura excessiva. 

Uma barriga proeminente tende a puxar naturalmente sua pelve para a frente, o que criará um vetor de carga  em sua coluna. 

Provavelmente, pacientes obesos que possuem hiperlordose podem estar submetidos  a maior tensão e dor nos músculos das costas.

Lordose

Lombalgia

A dor lombar é mais comum entre pessoas obesas, que também podem apresentar uma sensação de queimação e formigamento que irradia para as pernas. 

As alterações na postura, que são frequentes em casos de obesidade, potencializam ainda mais o problema.

Além disso, a gordura  costuma carrear mediadores inflamatórios, o que amplifica a sensação de dor.

Se a obesidade estiver associada a alterações metabólicas como hiperglicemia (aumento de açúcar no sangue), hipotireoidismo (tireóide preguiçosa), os nervos periféricos podem ficar inflamados e gerar dor, queimor, sensação de choque, tanto na coluna como nas pernas. 

lombalgia aguda

Osteoartrite da Coluna Vertebral

O excesso de peso acumula substâncias ligadas à inflamação crônica, o que provoca mais sensibilidade na coluna. Tanto é que , a osteoartrite das mãos também é mais comum em indivíduos com sobrepeso. Nos joelhos e quadris, idem.

Alguns especialistas acreditam que suas chances de osteoartrite aumentam quando você é obeso, devido à reduzida capacidade do corpo de circular o sangue, reduzindo a oxigenação dos tecidos, aumentando a concentração de radicais livres e consequentemente, inflamação e dor.

Outras consequências da obesidade ou sobrepeso

Alguns especialistas apontam que, para cada quilo extra de peso, a coluna suporta mais 10 quilos de pressão. Imagine o quanto as costas sofrem se você estiver com excesso de peso por longo período.

Outras consequências do excesso de peso são a falta de ar e a fadiga. Nessas situações, é muito provável que a pessoa evite exercícios físicos, o que pode piorar o quadro. Para a saúde da coluna, e saúde em geral, é importante manter alguma atividade física, porém é sempre recomendado o acompanhamento de um especialista.

À medida que vão sendo somados os quilos extras e não se faz exercício físico, aumenta o excesso de peso e também a dor, pois uma menor atividade física gera mais rigidez nas estruturas vertebrais.

Combata a obesidade e traga benefícios para a Coluna

Perder alguns quilos pode reduzir seus problemas nas costas, diminuir o risco de certos tipos de câncer e, por fim, acrescentar anos à sua vida.

Quando você começa a cortar o excesso de gordura e açúcar de sua dieta, há uma tendência a diminuir o peso, consequentemente controlar a inflamação crônica dos tecidos,  seus músculos começam a aumentar a performance, seu condicionamento físico e seu sono  tendem a melhorar, diminuindo os quadros de dor e limitação física. Essencialmente, as tarefas diárias tornam-se mais fáceis para o seu corpo lidar, o que resulta em menos dor. 

Embora a tarefa de perder peso pareça ser difícil, está longe de ser impossível. Ser avaliado e acompanhado por nutricionistas e endocrinologistas é importante, especialmente se você está com dificuldades de controlar o peso. Fazer atividade física sob supervisão profissional é recomendada especialmente se você não possui o hábito, pois assim evita-se lesões.

E em caso de dor na coluna sempre procure um especialista para que possa receber um diagnóstico mais preciso, de forma a direcionar seu tratamento.

Para ficar por dentro quando o assunto é coluna, complemente o seu conhecimento com esses próximos artigos:

👉 Conheça os principais desvios na coluna – Dr Henrique Noronha

👉 Os malefícios causados pela má postura corporal – Dr Henrique Noronha

👉 Usar muito salto alto causa problemas na coluna? – Dr Henrique Noronha   

Fique atento, não negligencie as dores na coluna, assim como assimetrias nos ombros, costelas e bacia…

Vale ressaltar a importância de um médico especializado para realizar o diagnóstico correto. Pensando em proporcionar a melhor solução para sanar os problemas dos pacientes, o Dr. Henrique Noronha é médico ortopedista, especialista em cirurgia de coluna e intervenção de dor, usando técnicas minimamente invasivas, se colocando sempre à disposição para trazer mais qualidade de vida às pessoas que sofrem com problemas na coluna – Agende já a sua consulta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.