Ozonioterapia para a coluna – Se você já se deparou com esse tipo de conteúdo na internet, mas ainda não sabe muito bem do que se trata e nem como pode ajudar no seu tratamento, você está no lugar certo!

As dores na coluna podem ser causadas por diversos fatores e são cada vez mais comuns na população. O que começa com um simples incômodo pode se transformar em um verdadeiro sofrimento com o passar do tempo, impondo mudanças na rotina, e em alguns casos, medidas dramáticas devem ser tomadas para tratar desses problemas.

Antigamente, essas dores na coluna eram mais comuns entre os idosos, porém sua incidência vem aumentando nos jovens. Seja por maus hábitos de vida (sedentarismo, vícios posturais)  ou por alguma pré-disposição, os problemas relacionados à coluna estão cada vez mais presentes, nos fazendo pensar nos possíveis tratamentos. 

Uma vez que muitas vezes não há causa específica para dor nas costas, e que a prevalência de dor crônica é alta, isto faz com que muitas técnicas ou modalidades de tratamento surjam na tentativa de controlar ou curar o problema. Desde técnicas convencionais da Medicina Tradicional como reabilitação física, medicamentos, bloqueios e cirurgias, e, outras, ditas alternativas, ou também chamadas de Práticas Integrativas.

Com isso, apresentam a terapia com o Ozônio, como um possível tratamento para as dores nas costas. Mas, será que funciona mesmo? É ideal para mim? Tem algum risco? Essa e outras perguntas vão ser respondidas no artigo. Continuem com a gente!

Ozonioterapia

O que é Ozonioterapia? 

Nosso objetivo aqui é fornecer informações a respeito da técnica, a despeito das discussões quanto a aplicabilidade e, até, legalidade do procedimento, ok?

Essa prática foi regulamentada e inserida no SUS (Sistema Único de Saúde) através da PORTARIA N° 702, DE 21 DE MARÇO DE 2018 como complementação de procedimentos tradicionais, uma vez que a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza o reconhecimento e incorporação das tecnicas alternativas nos sistemas nacionais de saúde, denominadas pelo Ministério da Saúde do Brasil como Práticas Integrativas e Complementares.

O Ozônio é um gás que se origina a partir de 3 átomos de oxigênio e é um oxidante potente. Na natureza, existe na estratosfera, combinado ao nitrogênio e a outros gases, na conhecida “camada de ozônio”, que filtra os raios ultravioleta e viabiliza a vida na Terra. É formado também na superfície terrestre (troposfera) como um subproduto em reações químicas geradas principalmente por motores à combustão, com o objetivo de inativar gases tóxicos.

O gás ozônio utilizado para fins medicinais é, na realidade, uma mistura de gases: oxigênio e ozônio. O ozônio desta mistura é produzido a partir de oxigênio puro medicinal e, por este motivo, a mistura gasosa é também conhecida como “Ozônio Medicinal” e sua aplicação para fins de tratamento de doenças variadas, dentro de uma janela terapêutica de segurança bem definida, é a Ozonioterapia. É importante ressaltar que ozônio é naturalmente produzido no organismo humano, no processo de ativação de anticorpos, motivo pelo qual é considerado uma “biomolécula” (molécula biológica).

De forma resumida, esse tratamento é explicado por seus defensores através da ação de uma molécula biológica que exerce seus efeitos nas diversas redes internas do organismo humano, restaurando a fisiologia normal, controlando a inflamação crônica – e as dores decorrentes, melhorando a oxigenação dos tecidos e fazendo com que se eliminem os excessos de radicais livres, além de agir sobre infecções das mais diversas origens.

Segundo os profissionais que utilizam este método, o procedimento tem poucas contraindicações, não devendo ser recomendado a pacientes com deficiência relacionada à enzima G6PD, visto que sua ausência ou deficiência é responsável por causar a destruição em massa das hemácias, células do sangue com função de transportar oxigênio.

Ozonioterapia

Como é aplicado o tratamento com Ozônio?

O tratamento com ozônio  é utilizado através das seguintes  técnicas:

Qual a eficácia do tratamento com Ozônio?

Apesar da terapia já ser reconhecida pelos conselhos federais de Odontologia, Fisioterapia, Farmácia, Enfermagem, Biomedicina, Veterinária, ser liberada no SUS, e ser utilizada em clínicas privadas, o CFM (Conselho Federal de Medicina), por meio da Resolução nº 2.181/2018, indica que a ozonioterapia é um procedimento de caráter experimental, “cuja aplicação clínica não está liberada”, e que deve ocorrer “apenas no ambiente da estudos científicos, conforme critérios definidos pelo Sistema CEP/CONEP”.

Isto significa que a real evidência para as mais diversas patologias a que se destina a Ozonioterapia carece de mais estudos e comprovação.

No tocante a dor lombar e patologias ortopédicas, os estudos clínicos randomizados encontrados possuem metodologia pobre ou insuficiente, incapazes de embasar a admissibilidade do ozônio, neste momento,  como terapia efetiva nestas patologias, qualificando-o como um procedimento não convencional, e que não deve ser utilizado como primeira linha no tratamento de dor, artrose, tendinites, estenoses, hérnias discais.

Além disto, já sabemos que há várias patologias na coluna, cujos sintomas podem ser dor, e merecem diagnóstico e tratamento específico. Profissionais como Dr Henrique Noronha, médico ortopedista especialista em coluna, busca sempre recomendar tratamentos não cirúrgicos, quando possível, e em casos cirúrgicos, utiliza  preferencialmente as técnicas minimamente invasivas. 

Entretanto, como sabemos que há uma parcela da população que não responde aos tratamentos convencionais para dor e patologias ortopédicas crônicas, será que elas não encontrariam alívio em intervenções não convencionais como a ozonioterapia? Seja por efeito placebo ou por ação desconhecida, há muito a ser descoberto e testado na medicina, porém, eticamente todo paciente deve ser orientado quanto às questionáveis evidências atuais deste procedimento.

ozonioterapia coluna

Fique atento, não negligencie as dores na coluna, assim como assimetrias nos ombros, costelas e bacia…

Vale ressaltar a importância de um médico especializado para realizar o diagnóstico correto. Pensando em proporcionar a melhor solução para sanar os problemas dos pacientes, o Dr. Henrique Noronha é médico ortopedista, especialista em cirurgia de coluna e intervenção de dor, usando técnicas minimamente invasivas, se colocando sempre à disposição para trazer mais qualidade de vida às pessoas que sofrem com problemas na coluna – Agende já a sua consulta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.