A escoliose é uma condição que causa uma curva anormal na coluna, e que variando do grau dessa deformação o tratamento com colete pode ser uma alternativa de tratamento satisfatório.

Quando falamos do uso de colete ortopédico para escoliose é importante um dado sobre a doença: 80% das escolioses menores que 20 graus não são progressivas, ou seja, não vão aumentar em curvatura e, portanto, estas devem ser controladas até o amadurecimento do esqueleto.

Continue com a gente fique por dentro de tudo sobre colete para escoliose!

O que é o colete para escoliose?

O colete para escoliose é um dispositivo usado ao redor do tronco que tem como objetivo evitar o agravamento da curva da coluna, além de prevenir a necessidade de uma cirurgia corretiva quando a escoliose atinge 40 a 50 graus de curvatura, o que ocorre em muitos adultos que não trataram a condição precocemente (na adolescência).

O colete ortopédico é a principal forma de tratamento não cirúrgico para a escoliose, especialmente quando associados a exercícios específicos. São produzidos de material leve, personalizados e podem ser utilizados por baixo da roupa. 

O colete para escoliose se ajusta ao tronco até os quadris, mantendo a coluna o mais estável possível. Existem diferentes tipos da órtese, que será escolhida conforme o grau de desvio da coluna vertebral.

É preciso ficar atento, pois o equipamento é utilizado como forma de prevenir o agravamento do estado da coluna e minimizar a necessidade de uma cirurgia de coluna no futuro. Portanto, para que tenha resultado, ela é recomendada para crianças e adolescentes com ossos ainda em desenvolvimento. A ferramenta é pouco ou nada eficaz na fase adulta.

Este colete ortopédico funciona da seguinte forma: o ajuste da órtese ao corpo da criança faz uma pressão na coluna para evitar que ela se curve de forma inadequada. Assim, o corpo é “ensinado” a se manter em uma postura mais próxima do normal, gerando impacto na forma como os ossos da região irão se desenvolver. 

Por isso, o método é importante para a saúde óssea da criança ou adolescente, no entanto, o colete não corrige completamente a escoliose. 

Quando é necessário usar colete para escoliose?

O uso de coletes ortopédicos é indicado para pacientes que apresentam curvatura da coluna entre 20 a 40 graus, em média. Pacientes com mais de 40 graus de curvatura precisarão, em grande parte das vezes, de tratamento cirúrgico para a correção do alinhamento das vértebras.

Além disso, o uso dos coletes é indicado durante a fase de crescimento na infância e adolescência. A intenção é a de prevenir o aumento da curvatura ao longo do crescimento da coluna vertebral.

O ideal é que o método seja utilizado antes do “estirão” da adolescência, que é o momento no qual pode ter maior progressão da curva.

No caso da escoliose proveniente de doenças neuromusculares, a colocação do colete é indicada desde os primeiros sinais de escoliose. Inclusive, se tiver histórico na família, pode ser mais pronunciado e mais resistente ao tratamento.

Qual é o melhor colete para quem tem escoliose?

No tratamento de escoliose, os coletes são confeccionados sob medida, para promover a melhor correção possível das curvas.

São exemplos de coletes para tratamento de escoliose:

Quanto tempo se usa o colete para escoliose?

O estudo clássico que testou a eficácia de coletes (68% era tipo Boston), diz que há 72-75% de sucesso da curva não progredir além de 50 graus, o que indica cirurgia, quando se usa o colete acima de 18 horas por dia.

Recomendamos que se use por 23 horas para que possamos atingir o melhor resultado possível!

A cada visita ao especialista é importante a realização de nova radiografia panorâmica para avaliar a progressão da curva e efetividade do uso do colete, que pode necessitar de ajustes ou remodelagem de acordo com a evolução do tratamento

Pode dormir com colete para escoliose?

Quanto mais tempo se usar o colete, melhor o resultado. Como os adolescentes passam no mínimo ⅓ de seu dia dormindo, é um período muito importante no tratamento.

Uso de colete para escoliose evita cirurgia?

Sim! O adolescente com curva entre 20-40 graus que usa o colete acima de 13 horas por dia, antes do estirão, reduz em 56% o risco de ter que ir para uma cirurgia, isto é, usar colete em situação adequada previne cirurgia, sim.

Adulto que tem escoliose pode usar o colete como corretor de postura?

Se o paciente for um adulto ele não vai trazer nenhum benefício, e, pelo contrário, o uso constante pode enfraquecer os músculos principais de sustentação da coluna.

Bônus: As principais dúvidas sobre escoliose

Qual a melhor posição para dormir quando se tem escoliose?

Não há evidência quando a isso, porém recomendamos dormir de barriga para cima, já que essa é uma posição neutra, boa para se descansar sem causar tensão desnecessária ou criar curvas anormais na coluna. Essa posição é a melhor para indivíduos com curvatura lateral da coluna.

Uma pessoa que tem escoliose não pode fazer musculação?

Não há nenhum trabalho que contraindique a musculação em pacientes com escoliose. Em muitos casos, no tratamento de patologias da coluna, a musculação, alongamento e reforço muscular não só podem ser realizados como fazem parte do tratamento.

Como sentar com escoliose?

Não há nada que comprove que ficar em “má postura” piore ou desencadeia a escoliose. Recomendamos sentar com a espinha alinhada, respeitando as três curvaturas anatômicas: cervical, torácica (meio das costas) e lombar. Ao sentar, as costas devem estar eretas, os ombros para trás e os glúteos encostados na parte posterior da cadeira. Mas o que se sabe hoje é que postura sustentada, isto é, ficar na mesma posição, pode acarretar dor, logo orientamos troca de posição sistemática para se evitar dores posturais.

Quem tem escoliose sente muita dor?

Pessoas com escoliose podem referir dor, porque dor nas costas é muito prevalente, mesmo em pessoas sem escoliose. Escoliose leve (abaixo de 30 graus) tem o mesmo risco de dor na população em geral (80%). A escoliose não tratada (acima de 50 graus) aumenta o risco de desenvolver dor na fase adulta. 

O que pode piorar a escoliose?

A falta de tratamento adequado pode ser crucial para a piora da escoliose. Nesse sentido, o portador tem grandes chances de ter progredir sua curvatura que com o passar do tempo pode gerar dor nas costas, no pescoço, na lombar e comprometimento do nervo ciático, provocando dores que vão para as perna, em casos onde há pinçamento de nervos.

É possível morrer de escoliose?

A Escoliose não apresenta risco de morte, porém se não tratada pode se tornar incapacitante.

Quais os problemas que a escoliose pode causar?

Além de causar um transtorno estético, a escoliose pode trazer complicações para a saúde do indivíduo, como transtornos psíquicos (depressão, ansiedade), desconforto muscular, dor crônica (casos não tratados) e o comprometimento da função pulmonar (casos graves).

É possível corrigir escoliose depois de adulto?

A escoliose do adulto em geral se configura como estruturada, não havendo correção com uso de órteses. Entretanto, a prática de atividade física, aliada a medidas de reabilitação, tais como fisioterapia, melhoram em muito a qualidade de vida e na correção de prováveis problemas posturais associados. E sem dúvida, há indicação cirúrgica também na fase adulta em curvas superiores a 45 graus, ou quando associados a desequilíbrio sagital, pinçamento de nervos e estenoses.

Qual o melhor tratamento para escoliose na coluna?

Tentar ao máximo evitar a progressão da curva!

Porém, se colete e exercícios não segurarem a evolução, a indicação cirúrgica precoce é importante para que se evite uma cirurgia mais agressiva.

A cirurgia é o tratamento para escoliose lombar estruturada, considerada a alternativa mais agressiva, sendo apontada para os casos mais graves, especialmente se associados a estenose de canal, desequilíbrio sagital e lombociatalgia. Basicamente, ela faz a fusão da coluna vertebral, que reduz a curva da coluna, impedindo a evolução do problema.

Quais são os graus de escoliose?

Ao classificar o grau de curvatura da escoliose, determina-se a gravidade da deformação e o tipo de tratamento necessário para a recuperação do paciente, podendo ser classificado em 5 níveis:

  1. Até 10 graus: Curva fisiológica (correta). Sem necessidade de tratamento;
  2. 10 a 20 graus: Curva Leve. Tem necessidade de acompanhamento médico;
  3. 20 a 40 graus: Curva moderada. Tem necessidade de acompanhamento e, em alguns casos, colete ortopédico;
  4. Mais de 40 a 45 graus: Curva moderada a Grave. Em alguns casos é necessária a cirurgia.

Fique atento, não negligencie as dores na coluna, assim como assimetrias nos ombros, costelas e bacia…

E em caso de dor na coluna e nos ombros, sempre procure um especialista para que possa receber um diagnóstico mais preciso, de forma a direcionar seu tratamento.

Complemente o seu conhecimento com esses próximos artigos:

👉 Tudo sobre Escoliose: O que é, sintomas e tipos e tratamento 

👉 Cifose: O que fazer para evitar a “corcunda” na coluna 

👉 Lordose ou Hiperlordose? Saiba quais as causas e diferenças entre elas. 

👉 Os malefícios causados pela má postura corporal – Dr Henrique Noronha
Vale ressaltar a importância de um médico especializado para realizar o diagnóstico correto. Pensando em proporcionar a melhor solução para sanar os problemas dos pacientes, o Dr. Henrique Noronha é médico ortopedista, especialista em cirurgia de coluna e intervenção de dor, usando técnicas minimamente invasivas, se colocando sempre à disposição para trazer mais qualidade de vida às pessoas que sofrem com problemas na coluna – Agende já a sua consulta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.